Desvendando as causas das suas inseguranças sociais – elas não são introversão

O que pode estar causando insegurança nas suas interações sociais? Não é introversão.

Desvendando as causas das insegurança sociais

Já refletiu sobre o motivo pelo qual a timidez, ansiedade social, inseguranças e desânimo continuam a impactar suas chances de aprimorar suas habilidades de conversação?

Com frequência, essas barreiras encontram apoio em pensamentos e crenças contraproducentes, que nos impedem de alcançar os resultados que almejamos. Esses padrões de pensamento geram sensações desagradáveis, como nervosismo e insegurança, levando-nos a adotar comportamentos que contrariam nossos objetivos, como evitar encontros sociais ou desistir de tentar construir amizades.

Tanto introvertidos quanto tímidos e extrovertidos, frequentemente enfrentam dificuldades nas interações sociais, influenciados profundamente por medos e inseguranças. Esses sentimentos são frequentemente alimentados por pensamentos negativos e crenças prejudiciais que têm uma visão pessimista das interações em geral. Essa teoria ficou clara para mim quando analisei os resultados do questionário preenchido pelos membros da comunidade Introvertidamente.

Em um questionário com algumas perguntas sobre as dificuldades nas interações sociais no geral, os resultados apontaram que, além das dificuldades em iniciar e manter conversas, a maioria das pessoas expressou preocupações como o medo de ficar sem assunto, a apreensão de não causar uma boa impressão, o receio de não ser compreendido, o temor de rejeição e a preocupação de dizer algo inadequado. Se você também quiser contribuir respondendo ao questionário, aqui está o link.

Curso de conversação para introvertidos
Curso de conversação para introvertidos

Se você deseja comunicar suas opiniões, medos e desejos de forma clara e assertiva; colaborar efetivamente em grupos e projetos, contribuindo com suas ideias e perspectivas e sentir-se mais confiante e à vontade em situações sociais, sem evitar interações por medo de rejeição, este curso pode lhe ajudar.

Pensamentos negativos e crenças inúteis que podem estar na fonte das suas inseguranças sociais

Antes de tudo, lembremos que ser introvertido não significa ser inseguro ou carente de habilidades sociais. Essas preocupações não estão restritas à introversão; elas podem coexistir e muitas vezes são a raiz das inseguranças nas interações sociais. Certamente você já percebeu isso, não é verdade? Quantas vezes você pensou: “As outras pessoas estão constantemente avaliando o que faço”, “Não vou participar desse evento porque prevejo que será entediante e vou me sentir deslocado”, “Ser rejeitado significa que não tenho valor como pessoa”, “Pessoas confiantes e extrovertidas sempre sabem sobre o que falar”, entre outras situações? Esses pensamentos, com certeza, moldaram suas decisões de evitar interações sociais em momentos cruciais.

Portanto, é fundamental que identifiquemos a origem dos nossos padrões de pensamento limitantes e aprendamos a lidar com eles de forma que não prejudiquem nossas interações sociais de maneira significativa. Dentro do meu curso “Conversação Para Introvertidos: Aprimore Suas Habilidades de Comunicação”, um guia essencial destinado àqueles que desejam se sentir mais à vontade ao conversar e aprofundar suas interações pessoais e profissionais com confiança, vou fornecer as ferramentas necessárias para que você possa conquistar uma satisfação social autêntica e perfeitamente alinhada com sua personalidade.

Aqui está uma dica simples para analisar pensamentos contraproducentes sobre socialização assim que eles surgirem, questioná-los e encontrar alternativas mais eficazes para superar os desafios de interagir com confiança e autenticidade. Aproveite ao máximo!

Encontrando alternativas para seus pensamentos contraproducentes e crenças inúteis sobre socialização

Pense em um momento em que você foi convidado para um evento social e recusou porque achou que iria se sentir inadequado ou não iria se divertir.

Verifique os pensamentos:

  • Quando você recebeu o convite para o evento, o que passou pela sua mente?
  • Quais foram os primeiros pensamentos que surgiram quando você considerou ir ao evento?
  • Existe alguma crença que você tenha sobre si mesmo em situações sociais que influenciou sua decisão?
  • Você lembra exatamente o que você disse para si mesmo naquele momento?
  • Há alguma frase ou autocrítica específica que você repetiu mentalmente nesse contexto?

Analise os sentimentos subjacentes:

  • Que emoções você experimentou quando pensou em participar do evento?
  • Você conseguiu identificar qual foi a emoção mais dominante nessa situação?
  • Esses sentimentos são familiares em outras situações sociais?

Identifique de que maneiras seus sentimentos influenciaram a sua decisão:

  • Quais pensamentos influenciaram diretamente sua decisão de não ir ao evento?
  • Você acredita que esses pensamentos foram uma representação precisa da realidade? Por quê?
  • Como você acha que sua decisão teria sido diferente se você não tivesse tido esses pensamentos?

Explore alternativas:

  • Que outros pensamentos poderiam ser igualmente verdadeiros ou mais realistas do que aqueles que você teve?
  • Você consegue identificar alguma evidência que contradiga esses pensamentos negativos?
  • Como você acha que alguém neutro ou objetivo poderia ver essa situação?
  • Quais são as chances de que suas preocupações se concretizem?

Reflexão final:

  • Como você se sente ao olhar para esses pensamentos e crenças agora?
  • Existe algo que você gostaria de fazer de forma diferente na próxima vez que enfrentar uma situação semelhante?
  • O que você pode fazer para desafiar esses pensamentos negativos e talvez considerar participar de futuros eventos?

Espero que esta ferramenta ajude você a identificar os pensamentos negativos e crenças inúteis que estão minando a sua confiança nas suas interações sociais e lhe impedindo de ter interações agradáveis e criar conexões significativas. No meu curso trarei muitas mais.

Quer receber notificações sobre o lançamento do curso? Deixe aqui o seu email.

O que achou desta dica? Deixe aqui seu comentário.

Espero você no próximo!

Marta Leite

Curso de conversação para introvertidos
Curso de conversação para introvertidos

Este curso te o objetivo de ajudar introvertidos(as) a aprimorarem suas habilidades de conversação para terem conversas fluidas e significativas que levem a amizades significativas e gratificantes de forma natural e melhores relações com amigos(as), parceiros(as) e colegas de trabalho.

Além da Introversão

Quer compreender mais acerca de si mesmo?

Clique aqui para baixar GRATUITAMENTE  agora mesmo o seu e-Book!

CURSO DE CONVERSAÇÃO PARA INTROVERTIDOS

Este curso vai ajudar você a aprimorar suas habilidades conversacionais, permitindo que tenha conversas significativas que levem a amizades, reconhecimento no trabalho e melhores relacionamentos pessoais e profissionais. Clique no. botão para saber mais!